A Carregar. Por favor, aguarde...


Atualizações mensais da Clínica

NOTÍCIAS E INFORMAÇÃO

Saiba aqui tudo o que se vai passando a nível da Clínica Dentária.



Sabia que os dentes são a parte mais dura do corpo humano? Ou que a a escova de dentes mais antiga foi encontrada 3 mil anos a.C? Aqui ficam 12 curiosidades sobre dentes que a maioria das pessoas não sabe…

1- Os dentes são duros, brancos e cheios de cálcio, mas não são considerados ossos. Os dentes são feitos de cálcio, fósforo e outros minerais. A diferença é que os ossos, também contêm bastante colagénio.

2- Os dentes são a parte mais dura do corpo humano.

3- O ato de ranger os dentes quando se está nervoso ou até mesmo quando se está a dormir chama-se bruxismo e causa um desgaste na dentição. Esse distúrbio atinge por volta de 15% da população (mulheres, na maioria)e tem a ver com o stress e agitação do dia a dia.

4- Os dentes são tecidos calcificados, chamados de dentina, e cobertos com esmalte (a parte mais externa e brilhante do dente).

5- A escova de dentes mais antiga de que se tem notícia foi encontrada numa tumba egípcia de 3 mil anos a.C. Era um pequeno ramo com ponta desfiada até chegar às fibras, que eram esfregadas contra os dentes.

6- Restos de um suposto fio dental foram encontrados entre os dentes de humanos pré-históricos. O inventor do fio dental foi o dentista de Nova Orleans, Levi Spear Parmly (1790 – 1859), em 1815. Ele começou a recomendar aos seus pacientes que utilizassem seu próprio fio dental, feito de seda.

7- O maior dente humano do mundo, de acordo com a edição de 2011 do Guiness Book é do incisivo que media 5,2 centímetros! O dente foi extraído por um dentista no Brasil, em Agosto de 2009.

8- O norte-americano Charles Forster, depois de morar no Brasil entre as décadas de 1840 e 1850, encantou-se com a beleza da dentição das mulheres brasileiras, que usavam palitos de salgueiro para remover restos de comida dos dentes. Voltando aos EUA, contratou um inventor de máquinas para que criassem um equipamento de produção de lascas de madeiras. Surge, então, o palito.

9- Antigamente, os dentistas usavam dentes humanos, comprados dos pobres, ou faziam as dentaduras de prata ou de ágata. As primeiras dentaduras de porcelana foram feitas por volta de 1770, por Alexis Duchâteau, um farmacêutico que morava próximo a Paris. A descoberta foi aprimorada nos Estados Unidos por Claudius Ash, no século XIX.

10- Depois das constipações, as cáries dentárias são a segunda doença mais comum em todo o mundo.

11 – A maioria das pessoas compra apenas 16.5 metros de fio dentário por ano, quando, para garantir uma boa higiene oral, deveria comprar 111.5 metros.

12- Na pré-história, a perda da dentição representava morte próxima – sem dentes, os humanos viam-se inibidos de mastigar e comer.



Uma das principais causas do mau hálito (halitose) é o acúmulo de bactérias na boca, que produzem mau hálito. O mau hálito pode ser incômodo, mas felizmente uma vez identificadas as causa, pode ser iniciado um tratamento.

O que causa o mau hálito (Halitose)?

O acúmulo de bactérias que produzem mau hálito acontece com frequência pela falta de uma rotina completa de higiene bucal, e que traz como consequência um acúmulo de placa bacteriana ao redor da linha das gengivas e principalmente na parte posterior da língua. Entre outras causas do mau hálito estão a alimentação, o acúmulo de bactérias ao dormir, o estresse a xerostomia (boa seca), problemas dentais, a desidratação, entre outros.

Em raras ocasiões o mau hálito pode ser sinal de uma doença mais grave. Portanto, é importante não ignorar o problema e consultar um dentista se o problema persistir. É possível melhorar o hálito seguindo uma rotina de higiene bucal adequada.

Como eliminar o mau hálito?

Após conhecer a causa do mau hálito você pode começar a tomar as medidas necessárias para ter um hálito mais fresco.
1. Utilize um enxaguante bucal que elimina os germes que causam o mau hálito, bem com aqueles componentes que estão nos alimentos que possam causá-lo.
2. Hidrate-se bebendo água durante o dia. Limite a ingestão de café, bebidas alcoólicas alimentos conhecidos por causar mau hálito, sucos azedos e bebidas açucaradas..
3. Para minimizar o mau hálito matutino, escove os dentes diariamente após cada refeição, use fio dental regularmente e comece o dia um enxague bucal para eliminar os germes que produzem o mau hálito.
4. Use fio dental todos os diaspara eliminar restos alimentares e a  placa bacteriana entre os dentes.



O cancro oral está fortemente associado a um estilo de vida menos saudável: consumo de tabaco e álcool, higiene oral deficitária e reduzida ingestão de vegetais e fruta. 8 em cada 10 pessoas diagnosticadas com esta lesão consomem ou consumiram tabaco. Os fumadores têm um risco 5 a 7 vezes superior de desenvolverem cancro oral quando comparados com os não fumadores…. O ser fumador e consumidor de bebidas alcooólicas é um fator de risco, que agrava se associado a uma higiene oral deficiente. ATENÇÃO A: Manchas acastanhadas na boca; Feridas que não cicatrizam, mesmo que indoloras; Obturações ou dentes fraturados que rocem na língua ou mucosa jugal (bochechas); Próteses mal ajustadas; etc…

O QUE É O CANCRO ORAL?

O cancro oral é definido pela Classificação Internacional de Doenças pelo conjunto de tumores malignos que afetam qualquer localização da cavidade oral, dos lábios à garganta, (incluindo as amígdalas e a faringe).

A sua localização mais comum é no pavimento da boca (mucosa abaixo da língua), bordo lateral da língua e no palato mole.

Mais de 90% destes cancros são designados por carcinomas afetando o epitélio da mucosa oral. Os restantes correspondem a formas mais raras de tumores e incluem os linfomas, sarcomas, melanomas, etc.

O cancro oral está associado a índices de mortalidade elevados, que se deve em grande parte ao seu diagnóstico tardio.

O CANCRO ORAL É FREQUENTE?

O carcinoma da cabeça e pescoço é o 6º cancro mais comum em todo o mundo e corresponde a cerca de 2.8% de todos os cancros. O cancro oral é mais frequente nos homens, acima dos 45 anos de idade, aumentando consideravelmente até aos 65 anos.

QUAIS OS FATORES DE RISCO DO CANCRO ORAL?

O tabaco e o álcool são os principais fatores de risco no desenvolvimento do cancro oral. O fumo do tabaco está relacionado com diversas transformações na mucosa oral e tem um efeito carcinogénico direto nas células epiteliais.

Calcula-se que 8 em cada 10 doentes diagnosticados com cancro oral consumam ou tenham consumido tabaco,  tendo estes doentes um risco 5 a 7 vezes superior de desenvolverem cancro oral quando comparados com não fumadores.

O cancro oral está, portanto, fortemente associado a um estilo de vida menos saudável, isto é, ao consumo de tabaco e álcool, associado a uma reduzida ingestão de vegetais e frutas e por isso pobre em alimentos contendo agentes antioxidantes.

COMO SE MANIFESTA O CANCRO ORAL?

QUAIS SÃO OS SEUS PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS?

Os carcinomas da cavidade oral podem manifestar-se como uma mancha, de cor variável, geralmente branca ou avermelhada, uma massa mais ou menos endurecida ou uma úlcera que não cicatriza.

A maior parte das lesões são indolores na sua fase inicial, tornando-se progressivamente dolorosas.

São exemplo de sinais e sintomas: úlceras persistentes, áreas endurecidas, áreas de crescimento tecidular, lesões que não cicatrizam, mobilidade dentária, dor, parestesia (perdas de sensibilidade), disfagia (dificuldade em deglutir), lesões brancas e vermelhas, linfadenopatia (gânglios linfáticos aumentados).

COMO SE TRATA O CANCRO ORAL?

O cancro oral trata-se essencialmente com cirurgia e radioterapia, isoladas ou combinadas. O fator chave para o tratamento é o diagnóstico precoce das lesões, fator que melhora significativamente as taxas de sobrevivência à doença.

O CANCRO ORAL MATA!

Apesar dos avanços ocorridos nos últimos anos no diagnóstico e tratamento do cancro oral este continua a ter uma taxa de mortalidade bastante elevada. Estima-se que cerca de 6 em cada 10 doentes de cancro oral morram nos 5 anos após a data do seu diagnóstico.

O insucesso parece estar ligado ao facto de grande parte dos casos não serem diagnosticados atempadamente.

COMO POSSO PREVENIR O CANCRO ORAL?

A prevenção do cancro oral passa por:

  • adoção de um estilo de vida saudável;
  • cessação do consumo de tabaco;
  • diminuição do consumo de álcool;
  • consumo regular de vegetais frescos e frutas como fator protetor;
  • visitas regulares ao médico dentista que permitam que tais lesões sejam diagnosticadas nas suas fases mais precoces.

EM QUE CONSISTE UMA CONSULTA DE RASTREIO DE CANCRO ORAL?

Na consulta de rastreio de cancro oral o médico dentista procede a um exame visual de todas as estruturas orais (lábios, língua, gengivas, palato, bochechas, pavimento da boca, etc.) bem como das estruturas anexas à cavidade oral (ex.: glândulas salivares, pescoço). A palpação das estruturas orais e peri-orais é também efetuada para detetar eventuais aumentos de volume e áreas endurecidas.

Podem ainda ser solicitados exames complementares de diagnóstico (ex.: radiografias).

Quando uma lesão suspeita é observada, a biopsia da mesma poderá ser aconselhada, permitindo a confirmação do diagnóstico inicial e os seus sinais de malignidade.

SABIA QUE?

  • O cancro oral é o 6º cancro mais comum em todo o mundo;
  • Os principais fatores de risco são o tabaco e o álcool;
  • Surge de uma forma assintomática, persistindo uma lesão por um tempo indeterminado, só se tornando dolorosa tardiamente;
  • O índice de mortalidade do cancro oral é elevado;
  • A chave para o seu tratamento é um diagnóstico atempado;
  • O risco de desenvolver um cancro na cavidade oral diminui com os anos de cessação tabágica. Após 15 anos da cessação, o risco aproxima-se dos valores de um não fumador.

O seu médico dentista é o profissional de saúde responsável pelo estudo, prevenção, diagnóstico e tratamento das anomalias e doenças dos dentes, boca, maxilares e estruturas anexas.

O médico dentista, pelo contacto regular com os seus pacientes, encontra-se numa posição privilegiada para contribuir no rastreio precoce e prevenção do cancro oral.

Consulte-o regularmente, pelo menos 2 vezes por ano.



” title=”

error: Conteúdo está protegido !!