A Carregar. Por favor, aguarde...


Atualizações mensais da Clínica

NOTÍCIAS E INFORMAÇÃO

Saiba aqui tudo o que se vai passando a nível da Clínica Dentária.



A acumulação de placa bacteriana pode provocar cárie e doenças gengivais. Por isso, está recomendada a utilização do fio dentário diariamente.

A utilização correcta do fio dentário permite eliminar a placa bacteriana e os resíduos alimentares das faces dentárias que não estão ao alcance da escova (por baixo da linha da gengiva e entre os dentes).

Que doenças/problemas posso evitar com o uso de fio dentário?

Mau hálito – o mau hálito pode ter diversas causas e uma delas é certamente uma higiene oral deficiente.

Gengivite – A gengivite é a inflamação da gengiva e é causada quase sempre pela presença de placa bacteriana. Se não for tratada, pode evoluir para uma doença mais grave, a periodontite.

Periodontite – Vulgarmente conhecida como piorreia, é a evolução da gengivite com afectação  do osso que rodeia o dente, podendo, a longo prazo, comprometer a estabilidade do próprio dente.

Que tipo de fio dentário devo usar?

Existem no mercada fios dentários monofilamento (fita dentária) e multifilamento.

Monofilamento ou fita dentária – São constituídos por um único filamento, habitualmente mais largo.

Multifilamento – São constituídos por vários filamentos unidos e estão disponíveis com cera, sem cera e com vários sabões. Por vezes este fio pode desfiar ou partir principalmente ao passar entre dentes que estão muito juntos, mas como é mais maleável é o mais recomendado para pessoas com os dentes apinhados.

Qualquer um deles, quando usado correctamente, é excelente para a remoção da placa bacteriana e resíduos alimentares.

Fio dentário antes ou depois de escovar?

A ordem não é o mais importante. O que é realmente importante é que o faça e que o faça correctamente. Escovar e passar o fio dentário são a melhor maneira de remover a placa bacteriana mantendo uma boa higiene oral e assim evitar problemas.



Na Clínica Dentaria Dr. Vítor Oliveira temos a facilidade de poder realizar os tratamentos dentários sob sedação consciente, caso o paciente assim o deseje.

Trata-se de um estado intermédio entre a anestesia local e a anestesia geral mas em que o paciente permanecerá em todo o momento consciente e colaborante mas não se recordará desse momento nem se lembrará dos ruídos, cheiros ou outras sensações que ocorram enquanto estiver sedado.

Geralmente a consulta é programada para num só dia, sempre que possível, realizar a totalidade de tratamentos.

Oferecemos assim um serviço onde, calmamente podemos tratar da sua saúde oral com a colaboração de uma equipa de médicos anestesistas que cuidam de si e da sua saúde.



O Bruxismo é um hábito involuntário de apertar ou ranger os dentes uns contra os outros sem nenhum objetivo funcional.

Afeta cerca de 10% a 20% da população e aparece tanto nas crianças como nos adultos.

Este hábito pode estar presente durante o dia ou durante a noite. Quando acontece à noite, como é totalmente involuntário, as pessoas não estão conscientes de que o fazem sendo mais difícil de controlar.

Com o bruxismo podem aparecer dores de cabeça, dores nos músculos da mandibula, ouvido e pescoço, desgaste dentário, zumbidos no ouvido, etc.

O stress é um dos principais fatores de risco para o surgimento e agravamento do bruxismo.

É importante consultar um médico dentista para diagnosticar, e controlar o Bruxismo e as suas consequências.

CONSEQUÊNCIAS DO BRUXISMO:

·         Desgaste dentário acelerado;

·         Dor de cabeça;

·         Mialgia facial (dor na mandíbula e nos músculos da face);

·         Dor de ouvidos;

·         Rigidez muscular cervical e nos ombros;

·         Limitação de abertura da boca;

·         Interrupção do sono;

·         Aumento da mobilidade dos dentes;

·         Gengivas inflamadas;

·         A longo prazo – problemas na articulação temporomandibular (ATM).



As aftas lesões/feridas que costumam aparecer na mucosa oral, seja na mucosa jugal (bochechas), língua, palato mole ou gengivas.

São arredondadas ou de forma oval e que podem ter aspeto esbranquiçado ou amarelado com um anel avermelhado à volta.

Podem variar de 3 a 8 mm, surgirem isoladamente ou em grupo e podem aparecer pontualmente ou, em algumas pessoas, com maior frequência.

Na sua enorme maioria não são lesões graves e desaparecem sozinhas, mas podem ser responsáveis por provocar um enorme desconforto durante as refeições ou simplesmente ao falar.

Porque aparecem as aftas?

Embora na sua maioria sejam de causa desconhecida, existem fatores que podem contribuir:

  • Recção imunitária como resposta às bactérias da cavidade oral;
  • Como manifestação de uma infeção vírica;
  • Devido a traumatismos – o ato de morder a mucosa jugal ou de sofrer algum impacto na zona da boca pode facilmente provocar o seu aparecimento;
  • Tratamento Ortodôntico e próteses dentárias – por vezes, este tipo de dispositivos, caso esteja mal adaptados podem roçar e provocar o seu aparecimento;
  • Escovagem agressiva ou com escovas demasiado duras;
  • Estomatite aftosa recorrente – afeta cerca de 20 a 30% dos adultos e crianças;
  • Stress;
  • Carências nutritivas – falta de ferro, ácido fólico e vitamina B12;
  • Alterações hormonais – as aftas afetam o dobro das mulheres em relação aos homens e pensa-se ser por razões hormonais;
  • Fármacos – alguns medicamentos contribuem para o seu aparecimento;
  • Pastas de dentes e colutórios – alguns ingredientes que costumam estar presentes nas pastas de dentes ou colutórios como o Laurel Sulfato de Sódio;
  • Alergias – hipersensibilidade a alguns alimentos como frutos secos, citrinos, ananás, chocolate ou morangos;
  • Predisposição genética – é muito comum vários membros da mesma família sofrerem do problema pois parece haver um componente genético importante;
  • Doença de Behçet.

Tratamento

Normalmente desaparecem de forma espontânea, mas para acelerar o processo está aconselhado:

  • Não comer alimentos muito condimentados nem muito quentes;
  • Reduzir a ingestão de alimentos ácidos como os citrinos;
  • Ter uma dieta equilibrada com especial atenção aos alimentos ricos em ferro, ácido fólico, vitamina B12, zinco e sobretudo;
  • Ter uma boa higiene oral.

É também possível aliviar os sintomas com analgésicos locais ou anti-inflamatórios tópicos que devem ser prescritos pelo seu Médico Dentista.

Nos casos em que as aftas persistem mais de duas semanas ou são muito frequentes, deve consultar o seu Médico Dentista para ajudar a descobrir a sua origem. Embora as aftas NÃO sejam um carcinoma, existem alguns tipos de tumores que podem aparecer primeiro como uma úlcera que não cicatriza.



A cárie dentária é uma doença comum que afecta quase 90% da população de todas as idades.

Como aparece?

A acção das bactérias da cavidade oral associada a uma alimentação inadequada e a uma higiene oral deficiente, facilita o aparecimento de cáries, podendo levar à destruição parcial ou total do dente.

Quando os alimentos que contêm hidratos de carbono, como os açúcares, bolos, rebuçados, chocolates, gomas…, são ingeridos, as bactérias cariogénicas vão decompô-los e originar ácidos que provocam a dissolução do esmalte dentário e consequentemente levam ao aparecimento de lesões de cárie. Este processo é mais eficaz quando estes alimentos são ingeridos  fora das refeições principais ou à noite antes de deitar.

Como evolui?

O processo de cárie é geralmente lento e o início é marcado pelo aparecimento de uma mancha branca na superfície do esmalte que ao progredir leva à formação de uma pequena cavidade. Assim que esta se forma, as bactérias têm acesso à camada subjacente ao esmalte – dentina- que é um tecido menos duro e por isso dissolve-se mais rápidamente pelos tais ácidos produzidos pelas bactérias.

Durante as fases iniciais da cárie não são detectados sintomas. No entanto, em fases mais avançadas as queixas podem passar por um desconforto com aumento de sensibilidade e mau hálito, ou mesmo dor na presença de diferentes tipos de estímulos (quente, frio ou doce). Pode ainda notar o aparecimento de uma dor espontânea muito intensa, quando a cárie já progrediu e atingiu a dentina, originando sintomas cada vez piores à medida que vai ficando mais profunda e mais próxima do nervo dentário.Como sei se tenho cáries dentárias?

A detecção de cáries numa fase inicial não é fácil e normalmente só consegue ser realizada por médicos dentistas. No entanto, se notar alguma alteração de cor, como manchas brancas, amareladas, acastanhadas ou pretas nos seus dentes, ou, se ao passar o fio dentário ele ficar preso ou esgaçar, deverá ser observado(a) pelo médico dentista.

No caso de notar uma cavidade ou a ausência de uma parte do dente, muito provavelmente terá uma lesão de cárie dentária já avançada.

Como posso prevenir ou evitar a cárie dentária?

  • Realizar uma higiene oral diária correcta, não esquecendo a língua, a gengiva e as mucosas;
  • Escovar os dentes pelo menos duas vezes ao dia com uma pasta com flúor após as refeições;
  • Passar o fio dentário entre os dentes pelo menos uma vez por dia, idealmente à noite;
  • Fazer uma alimentação equilibrada e evitar o “petiscar” entre refeições;
  • Se não for possível a escovagem após uma refeição principal, pode mascar uma pastilha elástica sem açúcar. No entanto, as pastilhas nunca substituem a escovagem!
  • Visitar o seu médico dentista regularmente.


A melhor escova de dentes é aquela que permite realizar uma boa higiene oral, ser facilmente manipulada, secar e lavar rapidamente e ter durabilidade.

O tamanho ideal depende da sua faixa etária, sendo que, a cabeça pequena favorece o acesso a áreas mais posteriores e o tamanho da cabeça demasiado grande não permite o fácil acesso a todas as superfícies dos dentes.

Na escolha da escova importa considerar que é preferível optar pelos pelos/filamentos/cerdas que secam mais rapidamente (ex. nylon), arredondados e de grau de dureza médio.

Dependendo da pressão com que se escova os dentes, as escovas mais duras podem danificar as gengivas e o esmalte do dente. São recomendadas essencialmente para realizar a higienização de próteses e aparelhos ortodônticos removíveis.

As escovas com filamentos ultra suaves são indicadas para a higiene oral depois de uma cirurgia (escova pós-operatória).

Outra opção são as escovas eléctricas indicadas para pessoas com menor destreza manual, ou quando a higiene oral está a ser feita por outra pessoa. Isto porque têm uma técnica de utilização mais simples onde em vez de escovar manualmente, apenas se deve encostar a escova às superfícies de todos os dentes.



” title=”

” title=”

error: Conteúdo está protegido !!